VIII Neuropsicologia na Prática Clínica

No último mês de dezembro, a Neuropsicóloga Márcia Amaral participou VIII Neuropsicologia na Prática clínica, no Complexo Sustentável O2 Offices no Rio de Janeiro. Dentre outros palestrantes, o destaque foram as conferências e mesas redondas  com os maiores nomes da Neuropsicologia Brasileira : Paulo Mattos, Leandro Malloy-Diniz, Neander Abreu e Rochele Paz Fonseca, eles são  autores ou co-autores de praticamente todos os manuais de Neuropsicologia Brasileira  utilizados atualmente.

Foram abordados temas como Tecnologia e Personalidade no exame neuropsicológico, Dislexia, Discalculia, Linguagem, Disfunção Executiva e diagnóstico do TDAH. Os palestrantes  trouxeram muita informação nova, opiniões, análises clínicas, e discussões clínicas ( sim os professores discordam e o bom é que assistimos e aprendemos muito com essa “DR” ao vivo!!). Uma das mesas redondas abordou a situação atual da Neuropsicologia Brasileira, as dificuldades e possibilidades de atuação.  Os quatros mestres foram unânimes ao afirmar, que a mera aplicação de testes não é Neuropsicologia, visto que a Avaliação Neuropsicológica é um processo muito mais amplo e de raciocínio clínico, sendo que as recentes descobertas científicas sobre comportamento e funções cognitivas são inquestionáveis e necessárias de serem conhecidas pelos profissionais.

Outra conferência muito importante foi a intitulada: SURPRESA: Algumas pessoas não tem TDAH! com Leandro Malloy Diniz e Paulo Mattos, dentro dos tópicos abordados , um deles foi o fato de muitos profissionais confundirem sintomas com síndrome, considerando que vários transtornos compartilharem disfunção nos circuitos fronto-temporais (TAB,TEA,TAG, borderline e dependência química por exemplo), sendo portanto que todos  vão apresentar  algum nível de disfunção executiva, impulsividade e desatenção, o profissional que não conhecer profundamente os quadros clínicos ou que basear-se somente em aplicação de testes facilmente será induzido ao diagnóstico errado. Paulo Mattos chega a afirmar que “De cada 10 pacientes que recebo por TDHA 8 não são, 6 talvez sejam TAG!”. Esta é apenas uma das questões que ilustra a importância do estudo e da atualização constante.

Além das palestras, o evento contou com mostra e venda de  testes e livros da Pearson, especialmente a coleção Neuropsicologia na Prática Clínica, de autoria ou co-autoria dos palestrantes. Aconteceu ainda o pré-lançamento do Livro de Interpretação da Escala Bayley de desenvolvimento Infantil, que será lançada oficialmente em Março.

O grande diferencial do evento é que por não ser um congresso, mas sim um evento menor totalmente voltado a profissionais que atuam na clínica,  garantiu um ar informal e a possibilidade de  participar das discussões  e interagir de perto com os palestrantes. Na foto abaixo um momento muito especial com o grande Leandro Maloy- Diniz sendo que além autografar o livro, foi possível bater um papo agradável e conversar sobre como é importante a prática baseada em evidências científicas e os desafios de fazer Neuropsicologia no interior.

Márcia Amaral – neuropsicóloga