Transtorno de Ansiedade: conheça os sinais, tratamentos e saiba o que fazer

As mudanças de comportamento de crianças e adolescentes podem ser os primeiros sinais de sérios transtornos psicológicos. Conheça os sinais, tratamentos e saiba o que fazer quando a criança é diagnosticada com Transtorno de Ansiedade. 

Fique de olho nos sinais

Crianças e adolescentes com transtorno de ansiedade costumam apresentar alguns sintomas em comum:

No corpo…

Tensão e dor muscular

Dores de cabeça

Diarreia, prisão de ventre, dor de barriga ou vômitos

Falta de ar ou respiração irregular

Sudorese

Tremor nas extremidades

No comportamento…

Agitação, irritabilidade ou agressividade

Insônia, pesadelos, terrores noturnos ou dificuldade para dormir

Falta de concentração

Inquietação

Medo de que algo ruim irá acontecer

Preocupação excessiva

Como os pais podem ajudar

Mantenha uma rotina: a regularidade na hora de dormir, comer e realizar tarefas diárias ajuda a dar segurança à criança.

Não exija demais: crianças devem ter tempo para brincar, para dormir e para “fazer nada”. Atividades extras são boas, mas o excesso delas pode levar ao estresse.

Escute e converse: não subestime os medos de seu filho, nem diga que são “besteiras”. Encoraje a criança a compartilhar os pensamentos e, juntos, tentem entender o que significam.

Mantenha hábitos saudáveis: estimule a criança a se exercitar, comer bem e dormir. Isso ajuda a melhorar o humor e previne doenças.

Brinque e simplifique: divirta-se com a criança, seja por meio de brinquedos, músicas, leituras, ou apenas ficando um tempo junto a ela.

O que fazer

Pais devem procurar auxiliar a criança a nomear seus sentimentos, a reconhecer o problema e a falar sobre os sintomas. Caso a conversa e a atenção não diminuam a ansiedade, é recomendável buscar a avaliação de um profissional de saúde mental, de acordo com a psicóloga Carolina Schneider Silva. Uma avaliação com o pediatra pode ser o começo da busca de ajuda. Caso o quadro de ansiedade seja comprovado, a criança inicia a terapia. Nesse caso, pais também serão envolvidos e orientados sobre como agir.

O tratamento

O tratamento vai depender da forma e da intensidade que a ansiedade se apresentar. As modalidades indicadas incluem psicoterapia associada ou não ao uso de medicações. O tratamento deve incluir, também, a participação da família, que será fundamental para a melhora da criança, uma vez que pode ajudar a reforçar as competências dela, aumentando sua autoestima.