Osteoporose pode ser responsável por mais de 66 mil fraturas de quadril este ano

Uma pesquisa inédita estima a possível ocorrência de 66.760 mil casos de fratura de quadril por osteoporose neste ano. O Estudo Brasileiro de Validação em Osteoporose (BRAVOS) levantou dados relevantes que podem auxiliar na elaboração de métodos de prevenção mais eficazes para o problema que atinge principalmente idosos acima de 50 anos.

— As fraturas de quadril estão entre os problemas de saúde mais onerosos para o SUS atualmente. Afinal, exigem uma série de cuidados e, quase sempre, são irreversíveis — diz Cristiano Zerbini, reumatologista da comissão científica da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (ABRASSO).

Idealizador do BRAVOS, juntamente com a médica Vera L. Szejnfeld, Zerbini também alerta para o resultado da pesquisa, pois, segundo ele, o problema pode deixar pessoas paraplégicas e sujeitas a uma série de complicações capazes de reduzir consideravelmente a expectativa de vida.

Realizado por membros da ABRASSO com o auxílio de pesquisadores da USP e Unifesp, o estudo foi concebido a partir de um levantamento de 982 casos de fraturas osteoporóticas de quadril ocorridos, entre fevereiro de 2010 e março de 2012, em hospitais públicos de Belém, Vitória e Joinville. As cidades foram escolhidas porque representam com fidelidade o perfil das regiões onde estão inseridas e refletem uma amostragem do território nacional.
— Vimos com mais clareza que o problema nem sempre está associado apenas ao ambiente e à alimentação, mas também a fatores genéticos e ao estilo de vida — revela Zerbini.

De acordo com a pesquisa, o principal fator para as fraturas osteoporóticas no país ainda é a idade avançada. Os dados apontam que após os 50 anos o risco de fraturas em mulheres aumenta 50% e em homens de 20% a 25%. Com o aumento da expectativa de vida no Brasil, estima-se quosteoporose-1e em 2050 o país terá cerca de 34,3 milhões de pessoas com mais de 70 anos de idade, o que deve gerar um crescimento considerável nos casos de fratura de quadril por causa da osteoporose.

— Para reverter esta situação é preciso iniciar um trabalho de prevenção o quanto antes entre os idosos, incentivando que eles adotem um estilo de vida saudável, pratiquem exercícios físicos, mantenham uma alimentação rica em cálcio e vitamina D e desenvolvam o hábito de tomar sol de 15 a 20 minutos por dia, ao menos três vezes por semana — aconselha Zerbini.

 

Previna quedas

Grande parte das fraturas de quadril causadas por osteoporose ocorre em função de quedas. Por isso, confira algumas dicas de como deixar a casa mais segura para os idosos:
– Na sala, evite tapetes soltos e pisos encerados, deixe as passagens desobstruídas, livres de fios e extensões elétricas e opte por poltronas e cadeiras com apoio para os braços, assim o idoso pode se apoiar para sentar e levantar.
– No quarto, evite deixar o piso escorregadio com o uso de cera, por exemplo e é importante evitar também tapetes soltos. Tenha sempre um abajur ao lado da cama, utilize calçados antiderrapantes e dê preferência a colchões firmes e camas em altura confortável, pois facilitam o deitar e o levantar.
– O corredor  deve ficar iluminado e livre, isto é, sem qualquer tipo de mobília.
– Na cozinha utilize armários com altura adequada, para que seja evitado o uso de bancos ou escadas para alcançar a parte superior do móvel, e utilize um apoio para descanso do pé, quando ficar parado por muito tempo cozinhando, lavando ou passando roupa, pois isso evita sobrecarga na coluna.
– No banheiro, mantenha o local bem iluminado, utilize vasos sanitários mais altos para evitar desequilíbrios, coloque tapetes antiderrapantes e barras de apoio paralelas ao vaso e dentro do box e utilize cortinas no lugar de portas de correr de vidro.
 Previna a osteoporose

Os fatores de risco para osteoporose e fraturas subsequentes à doença são basicamente idade avançada, ocorrência prévia de fratura no indivíduo ou fratura paterna ou materna, tabagismo, alcoolismo, uso de corticoides, artrite reumatoide e vida sedentária. Por isso, conheça algumas dicas de prevenção:

– Consuma laticínios, frutas, legumes, folhas verdes e grãos. Eles são ricos em cálcio;
– Procure praticar atividades físicas durante de 30 minutos diários no mínimo. A prática de esportes fortalece os ossos.
–  Evite quedas e carregar muito peso, já que isso pode comprometer a saúde dos ossos.
– Acima dos 50 anos, as mulheres têm mais chances de desenvolver osteoporose em função da queda da produção de estrogênio causada pela menopausa. Por isso, quando se chega nessa idade, é importante realizar uma densitometria óssea.
– Procure tomar sol diariamente por pelo menos 20 minutos.
– Se alguém da família tiver osteoporose, vale a pena ficar atento. Traços hereditários podem favorecer o aparecimento da doença. Por isso, é importante realizar um exame de densitometria óssea, a partir 45 anos de idade.
– Beba água ou suco natural de frutas. Refrigerantes e bebidas alcoólicas causam perda de massa óssea.
– Manter hábitos saudáveis, desde a infância, também ajuda na prevenção da osteoporose. Isso porque a aquisição de massa óssea aumenta na infância, acelera na adolescência e estabiliza na faixa dos 30 anos de idade.

ClicRBS