Jovens vs. vestibular. Qual curso escolher?

No próximo dias milhares de jovens terão uma difícil tarefa, passar em um concurso de vestibular. Para alguns é uma maratona que passa por diferentes instituições, com cursos concorridos como medicina, direito e odontologia. Uns já decidiram a profissão que querem para o futuro, mas outros, e não são poucos, ainda não sabem o que fazer.

“Aos 17, 18 anos imagina-se milhões de possibilidades de futuro pessoal. É aí que está uma das grandes dúvidas da grande maioria dos jovens, que curso fazer? Esta é uma escolha decisiva, que vai determinar o que você fará nos próximos anos de sua vida e mais, irá dizer qual a sua função no mundo”, salienta Mariana Machado, psicóloga clínica.

E essa dúvida pode ser explicada pelos números abaixo:

  • 95% dos estudantes brasileiros que prestam vestibular não têm certeza do curso que querem fazer;
  • Mudar de profissão é o sonho de 18% dos trabalhadores brasileiros;
  • 28% dos trabalhadores não atuam na área para as quais se prepararam;
  • 25% a 30% dos alunos que ingressaram em universidades públicas brasileiras já haviam iniciado anteriormente outro curso superior do qual se afastaram;
  • 40% a 50% dos alunos universitários não chegam a concluir seus cursos.

 

Segundo a psicóloga, “os dados acima nos mostram a insatisfação das pessoas com suas proescolha profissionalfissões, e ainda podemos pensar o quanto o momento da escolha não esta sendo explorado de maneira adequada”.  A escolha de uma carreira é uma decisão muito importante que está intimamente ligada com a maturidade de um jovem. Esse pode ser um momento crítico, o que pode gerar estresse se não bem orientado. O jovem pode sentir uma pressão muito grande nesse momento e em muitos casos paralisar e não conseguir progredir nesse processo de amadurecimento.

A escolha deve ser baseada no conhecimento amplo das alternativas. Em muitos casos a universidade é a meta do estudante, mas o objetivo de passar no vestibular, muitas vezes, deixa em segundo plano a escolha da carreira desejada. “A pressão pode chegar ao ponto de no anseio de passar no vestibular, o aluno deixar de lado o objetivo ideal: cursar a carreira escolhida, aquele que lhe trará como retorno satisfação, além dos óbvios como dinheiro e prestígio”.

Dinheiro ou satisfação profissional? Reconhecimento ou uma vida tranquila? Esses são alguns questionamentos que os jovens fazem no momento de escolher a profissão e até mesmo no decorrer de sua vida. Uma realidade que faz muitas pessoas repensarem o caminho que quer seguir. “ Geralmente um estudante do ensino médio não tem informações suficientes de como será o curso para o qual ele prestará vestibular. A carreira em geral é uma ideia distante da realidade  dos jovens e por conta disto ouve-se muito a frase “não era o que eu esperava” de alunos recém ingressados no ensino superior”, lembra Mariana.

Na hora de pensar sobre o clichê o que ser quando crescer é sábio levar em conta em qual ambiente se deseja estar inserido pode ser trabalhar em laboratórios, indústrias ou trabalhar em  ambientes abertos entre muitas outras possibilidades em qual você gostaria de estar todo dia ?

A maior parte dos abandonos de curso poderia ser evitada se a escolha fosse feita de maneira mais sistemática, refletida e informativa. Você já pensou em quais atividades a profissão dos teus sonhos esta envolvida? Pode ocorrer de estar envolvido em atividades de alto risco e não estar disposto a isso, talvez você goste de atividades que exijam negociação e planejamento. O que você se imagina fazendo?

“É preciso que percebam as possibilidades que a sociedade na qual estão inseridos lhes oferece quanto a escolha profissional , buscando informações sobre si, e sobre a suas futuras profissões para realizarem escolhas conscientes,  acima de tudo”, alerta a psicóloga, e ressalta: “Outro aspecto relevante é que nenhuma escolha é final ou definitiva: mesmo em um campo profissional específico, situações novas se apresentarão diariamente, exigindo posicionamento, escolha e ação”.