Hora de prevenir contra a gripe

Iniciou nesta semana mais uma Campanha de Vacinação contra a Gripe. Antecipada em uma semana para profissionais da saúde, tem como Dia D a data de seis de maio. Também aconteceram algumas mudanças, como a inclusão no grupo de risco os professores da rede pública e privada. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 90% do público alvo.

A partir desta semana podem procurar os postos de vacinação:

– pessoas com 60 anos ou mais;

– gestantes em qualquer idade gestacional;
– puérperas (até 45 dias após o parto);
– crianças a partir de seis meses e menores de cinco anos;
– população indígena;
– pessoas de cinco a 59 anos portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;
– adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
– trabalhadores da área da saúde (todos os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade);
– detentos e funcionários do sistema carcerário;
– professores da rede pública e privada.

 

Daniel

Dr. Daniel Marcolin – geriatra

Segundo o geriatra Dr. Daniel Marcolin, a vacina contra a Gripe A deve ser aplicada todos os anos: “todo o ano ela é feita diferente, para proteger o indivíduo contra os vírus que causam gripe, que se modificam periodicamente”.

O médico lembra que podem ocorrer algumas reações no organismo das pessoas, mas os efeitos começam a diminuir após 48 horas: “Quanto às reações que podem gerar após a vacina, é relatado  alguns sintomas de dores pelo corpo, febre baixa, que podem iniciar 6h após a vacinação e que diminuem no  máximo em 48 horas, o que não significa gripe, mas apenas uma reação do indivíduo a formar as defesas contra a doença. Também pode dar vermelhidão no local da aplicação. Raramente podem dar reações mais graves”.

O Dr. Marcolin também lembra que existem algumas diferenças entre a gripe e o resfriado: “Temos que aqui dizer que gripe é diferente de resfriado comum, para o qual a vacina não tem eficácia. Gripe é uma doença grave que tem como sintomas febre alta, dores fortes pelo corpo, tosse produtiva com expectoração amarelada, dor no meio do peito ao respirar e tossir, mal estar geral, que dura cerca de sete dias e que pode levar a  complicações como pneumonia e morte. Diferente disto é o resfriado comum, caracterizado por dor leve de garganta, espirros, coceira do nariz, febre baixa e leve indisposição que duram alguns dias. Assim como é diferente de processos alérgicos das vias aéreas superiores e outras infecções”.

As principais formas de contágio da gripe ocorrem por meio de espirros, tosse e contato direto com pessoas ou locais e objetos contaminados (aperto de mão ou utilização de talheres, por exemplo).
A melhor forma de prevenir a gripe é adotando hábitos simples como lavar as mãos frequentemente com água e sabão, não compartilhar objetos pessoais se estiver com
sintomas, cobrir boca e nariz com lenço descartável ao tossir ou espirar, manter ambientes de grande circulação sempre limpos, deixar ambientes úmidos ventilados e iluminados com luz solar.

 

Alisson Dozza

Ass. Imprensa Clínica Neurovasc