Enxaqueca: problema que atinge 20% dos brasileiros

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, 90% da população mundial sofre de algum tipo de do dor de cabeça, sendo a mais comum a enxaqueca. No Brasil, pelo menos 20% das pessoas sofrem com a doença, sendo mais comum em mulheres.

A neurologista, Dra. Ana Luisa Brasil Dozza, explica que a enxaqueca pode iniciar em qualquer idade, podendo ter um componente genético: “A dor habitualmente  é latejante mas, quando menos intensa, pode se manifestar como um peso na cabeça. É comum que venha com náusea e até mesmo vômito”. A neurologista também lembra que durante as crises existe uma tolerância a claridade, ruídos e dores.

Existem basicamente dois tipos de tratamento para a enxaqueca: o agudo ou da crise e o preventivo. No primeiro caso, o combate é feito através do uso de analgésicos durante a crise, “que deve ser tomado no início da dor, por que quanto mais demorar em toma-lo, menor é a probabilidade de que tenha efeito”, lembra a Dra. Ana.dor de cabeça

A médica também enfatiza que é preciso ter cuidado na ingestão de analgésicos, por que, caso consumido em excesso, poderá piorar a dor de cabeça. Ela lembra que existem critérios específicos para o consumo excessivo de analgésicos: “Se você estiver consumido medicamentos mais do que três dias da semana, de forma regular, você pode ser um forte candidato a desenvolver cefaleia crônica”.

No caso do tratamento preventivo, que também envolve a utilização de medicamentos, o mesmo é feito num período de seis a 12 meses. Segundo a neurologista Ana Luísa, estes medicamentos agem no cérebro regulando as vias neuroquímicas que desencadeiam as crises de dor. “As medicações mais usadas para tratar a enxaqueca são da classe dos anti-hipertensivos, antidepressivos e anticonvulsivantes, mesmo você não sendo hipertenso, depressivo ou epiléptico, elas são usadas amplamente para o tratamento da enxaqueca e existem vários estudos assegurando sua eficácia e segurança.”

A neurologista também lembra 25% dos pacientes podem desencadear crises de enxaqueca quando fazem a ingestão de alguns alimentos, como chocolate, vinho tinto e bebidas alcoólicas em geral; queijos amarelos e envelhecidos; frutas cítricas; adoçantes artificiais; amendoim; excesso de cafeína; entre outros.

Dra. Ana Luísa lembra que existem algumas medidas que podem ajudar a amenizar a dor de cabeça, como por exemplo, a utilização de bolsa de gelo na região das têmporas.  Além disso, a neurologistas tem algumas dicas para prevenir as crises de enxaqueca: “tenha horários de sono regrados, evite cochilos prolongados à tarde; dormir menos ou mais que o necessário pode desencadear crises; evite usar rabinhos de cavalo, coque, tiaras apertadas; durante a crise, evite lugares com claridade e barulho excessivo”.