Atuação do fonoaudiólogo no contexto escolar

A atuação fonoaudiológica na escola é de suma importância para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita, voz e audição das crianças, considerando sempre a prevenção de possíveis alterações fonoaudiológicas. Esse trabalho deve ser realizado junto à equipe pedagógica, numa relação de parceria, principalmente com o professor, viabilizando um melhor desenvolvimento e desempenho escolar dos alunos.

As funções do fonoaudiólogo no ambiente escolar podem ser, entre outras:

– Prevenção: trabalho informativo e de orientação integrado ao ambiente da escola;

– Detecção: levantamento, por meio da triagem, das falhas ou dificuldades, já relatadas ou não pela equipe, que estejam fora do esperado para a faixa etária dos alunos nos aspectos relacionados a linguagem oral, escrita, voz e audição, sendo realizada tanto em nível pré-escolar como escolar. Após a triagem, realiza-se o levantamento dos dados colhidos, tendo o fonoaudiólogo condições de orientar os pais das crianças que apresentam ”alterações” sobre quais medidas tomar, principalmente se houver necessidade de encaminhamento sendo realizada individualmente, bem como a orientação aos professores que trabalham diária e diretamente com estas crianças, com o objetivo de sugerir atividades a serem desenvolvidas em sala de aula.

– Minimização: busco e implementação de alternativas que possam contribuir para a superação, pelo aluno, das dificuldades. A terapia é indicada nos casos em que o aluno apresenta distúrbios que interfiram no desenvolvimento escolar, como, por exemplo, transtorno de déficit de atenção com ou sem hiperatividade (TDAH), discalculia (dificuldades a tudo que possua relação com números), dislalia (dificuldades em articular as palavras), disortografia (transtorno específico do escrito) e dislexia (dificuldade na leitura, soletração, escrita, linguagem expressiva e receptiva, calculo matemático, não tendo relação com falta de interesse ou motivação).

– Dica: criança com voz ”diferente” dos demais sempre é indicativo de alteração. Deve ser encaminhado para o fonoaudiólogo. Lembrando que a terapia fonoaudiológica deve ser feita fora da escola, pois não é viável retirar a criança da sala de aula.

 

Bruna Sperling Morgan – fonoaudióloga