Ansiedade normal versus Ansiedade patológica

Ansiedade é um sentimento de apreensão desagradável, vago, acompanhado de sensações físicas como frio no estômago, aperto no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre várias outras. A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e desconhecidos, porém estes perigos podem ser reais ou imaginários; desta forma a ansiedade caracteriza-se como uma reação natural e necessária para a autopreservação.

Ansiedade é um sentimento de apreensão desagradável, vago, acompanhado de sensações físicas como frio no estômago, aperto no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre várias outras. A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e desconhecidos, porém estes perigos podem ser reais ou imaginários; desta forma a ansiedade caracteriza-se como uma reação natural e necessária para a autopreservação. Contudo, não é um estado normal, mas é uma reação normal, podemos compará-la com uma febre  que não é um estado normal, mas uma reação normal a uma infecção. A ansiedade está presente ao longo do ciclo de vida do ser humano, sendo inerente á algumas fases de desenvolvimento, por exemplo, é normal para o bebê que se sente ameaçado se for separado de sua mãe, o adolescente no primeiro encontro ou o adulto em uma entrevista de emprego poderão estar ansiosos, ou ainda para um idoso quando contempla a velhice e a morte, e para qualquer pessoa que enfrente uma doença.

Portanto podemos entender a ansiedade como um acompanhamento do crescimento, da mudança, da experiência de algo novo e nunca tentado, e do encontro da nossa própria identidade e do significado da vida. Isso é o que chamamos de ansiedade normal, inerente á condição humana e que geralmente não precisa ser tratada por ser natural e autolimitada. Contudo existem estados de ansiedade anormais, é a chamada ansiedade patológica, que caracteriza-se pela excessiva intensidade e prolongada duração proporcionalmente à situação precipitante. É uma preocupação exagerada que pode abranger diversos eventos ou atividades da vida da pessoa e pode vir acompanhado de sintomas como irritabilidade, tensões musculares, perturbações no sono, entre outros. Costuma causar um comprometimento significativo no funcionamento social, ocupacional e afetivo da pessoa, podendo gerar um acentuado sofrimento. Nestes casos ao invés de contribuir com o enfrentamento do objeto de origem da ansiedade, atrapalha, dificulta ou impossibilita as ações do indivíduo. Este quadro pode estar presente em diferentes transtornos como tiques, fobias, e em casos mais graves como o Transtorno de Ansiedade Generalizada ou Síndrome do Pânico. Nestes casos é imprescindível o tratamento, atualmente sendo indicado a combinação da psicoterapia e do tratamento medicamentoso.

Podemos concluir que todas as pessoas podem sentir ansiedade, principalmente com a vida atribulada atual, a ansiedade acaba tornando-se constante na vida de muitas pessoas. Dependendo do grau e da frequência, pode se tornar patológica e acarretar muitos problemas posteriores, como os Transtornos de Ansiedade. Mas, nem sempre ansiedade é patológica, é preciso fazer esta diferenciação, o que é doença e o que faz parte das nossas vivências, para isso as pessoas devem tentar entender os motivos de seu estado ansioso, analisar mais sua vida, conhecer-se e ter algum tempo para si. Pois atualmente notamos muito apelo na patologização de sentimentos inerentes aos processos de mudança e crescimento humano, é como se as pessoas não suportassem mais sentimentos desagradáveis vivendo em um imperativo de felicidade, contudo esses sentimentos também fazem parte e são tão necessários para nosso crescimento quanto as vivências positivas.

 

Márcia Baiocchi Amaral

Psicóloga

Especialista em Intervenções Psicossociais