18 de Maio: Dia de Lutas!

Dia 18 de Maio é marcado por duas importantes mobilizações: Dia da Luta Antimanicomial e Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

A Luta Antimanicomial foi a primeira a ser instituída, foi em 1987 na cidade de Bauru, durante o Congresso de Trabalhadores de Serviços de Saúde Mental. Os profissionais cansados do tratamento desumano e cruel dado a usuários do sistema de saúde mental, organizarem o primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios durante o congresso. Este fato deu visibilidade ao Movimento “Por uma sociedade sem manicômios” e institui a data de 18 de maio como marco da luta. A luta antimanicomial inaugurou uma nova trajetória no cenário da Atenção à Saúde Mental, propondo um modelo de cuidado humanizado e em liberdade e principalmente, questionando as relações de estigma e exclusão que social que se estabeleceram para as pessoas que vivem e convivem com os transtornos mentais. Este movimento é um dos berços da Reforma Psiquiátrica Brasileira, chancelada pela Lei nº 10.216/2001, que redireciona a assistência em saúde mental e dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas com transtornos mentais.

Já o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” foi reconhecido a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. Apesar de ter vindo depois, remete a uma história ainda mais antiga. Em 18 de maio de 1973 uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espírito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. O “Caso Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há mais de 40 anos, mas, infelizmente, situações absurdas de crueldade e impunidade como essa ainda se repetem.
Duas campanhas com origens bem diferentes , mas que vividas de perto, compartilham de muitas mais semelhanças do que a data. Ambas atestam á favor da vida!! Dizem da necessidade de liberdade, de dignidade, de segurança, de respeito e de autonomia sobre nossos corpos. Mas principalmente ambas falam do direito e da necessidade fundamental, que adultos e crianças, tem de serem VISTOS, ESCUTADOS, ACREDITADOS E ACOLHIDOS!
É tempo de comemorar!? Sim devemos comemorar porque muito foi já foi construído e conquistado depois destes dois marcos históricos. Mas também é tempo de ficar atento para que conquistas históricas não vivam retrocessos e nos envergonhem enquanto sociedade.
É tempo de mobilizar?! Sim também. Mas devemos também estar atentos para que estas mobilizações não se resumam, a uma data, um dia ou semana. Pouco adianta protestar e “ prefiro não me envolver” , mobilizar e “escrever um relato que não me comprometa”, apoiar e “mas isso não é dever da minha conta/profissão/ área”. Atestar a favor da vida é protestar, mobilizar, apoiar e também envolver-se, comprometer-se e não se restringe a nenhuma “área”.
Todos nós enquanto sociedade, precisamos combater os muros, reais ou imaginários, as violências, praticadas ou simbólicas, não só no dia 18, mas TODOS OS DIAS!!
Sigamos com garra, ânimo, força e principalmente com ouvido e peito aberto sempre!!

Márcia Baiocchi Amaral
Neuropsicóloga CRP 07/13656
Especialista em Intervenções Psicossociais, Preceptoria em Saúde e Neuropsicologia.